sexta-feira, 23 de setembro de 2005

Eles não sabem ... nem elas !



Eles não sabem nem sonham ... o poeta cantava. Lembrei-me da frase porque hoje dei uma volta em alguns blogs ...

... atenção! o meu comentário não é censura, eu acredito na liberdade de expressão!

... caóticos ... decadentes ... peço desculpa por sensibilizar alguém, porém vai a minha opinião!

Lutamos todos os dias por vencer, dia após dia é uma luta permanente e temos uma geração, ou parte dela, que refugiasse no "eu" - como vi num desses blogs "Refúgio: Eu mesma.", mergulham na depressão, liberdam gritos de raiva moribunda, ligam-se ao gótico, e ao submundo, ao escuro (reparem que não disse preto ou negro, para mim são cores, e eu gosto!), e assim mergulham num sub-mundo de amarguras.

Imaginem que num desses meus passeios, no perfil de uma miúda (tenho idade prá chamar assim), li: ... nasci em Dezembro, e tenho X invernos ... Invernos? porque tristeza e cinzentismo? está visto: damos predominância ao lado escuro sa vida e à tristeza ...

Nâo me venham com a ideia da liberdade, cada um escolhe aquilo que quer, etc.

Eu acredito na liberdade, mas liberdade é Luz, é alegria, perguntem à maioria das pessoas para compararem liberdade e prisão ...não me venham com opção de vida, quem é que quer escolher (isto na posse de todos as suas faculdades) a tristeza à alegria da vida? ...

... eu também nasci em Dezembro, mas a minha vida é de primaveras e verões, de outonos e invernos, os (momentos) tristes perdoamos e esquecemos, os felizes recordamos e passamos aos outros!

... mais notícias virão!
...acho que vou continuar a desenvolver este tema.

quarta-feira, 21 de setembro de 2005

Está bem visto ...

Um dias destes um amigo contou-me a seguinte alegoria:


O Barbeiro e o incrédulo


Estava um cliente no barbeiro, e a conversa deles andava à volta de Deus e da criação, ao que o barbeiro responde: "Não acredito. Se houvesse Deus, as coisas não andariam como andam ... os pobres ... as crianças ... a fome ... a guerra ...", o cliente logo que acaba o serviço, paga e sai. Ao virar da esquina vinha um homem totalmente desleixado quanto ao cabelo e barba, visto esta figura o cliente corre outra vez para a Barbearia e grita: "Também não acredito em si!", o barbeiro pergunta-lhe porquê e o cliente comenta: "Está a ver aquele homem? Se houvessem barbeiros ele não estava assim!" ao que o barbeiro replica: "Está assim porque não vem cá!"



Esta é a história de todos nós quando duvidamos ou não acreditamos em Deus: não acreditamos porque não vamos ter com Ele!

... mas é que está mesmo bem visto!

segunda-feira, 12 de setembro de 2005

Aprendemos com as ... experiências !!!

Bom dia,

Este fim-de-semana, tivemos no CCFV a IX Conferência Juvenil do Algarve, aprendemos muito, e digo aprendemos porque tenho absoluta certeza de que não fui somente eu.

Há uma coisa que tenho a declarar: Este evento foi, dentro dos trabalhos juvenis que já participei, o melhor. Vivemos o esforço, a dedicação e o amor com que os nossos líderes nos servem, e creio que, embora podendo fazer melhor em algum casos, acompanhámos este projecto de coração apaixonado.

Esta foi a principal mensagem deste evento que teve como tema, Jovens que marcam a História, o viver apaixonadamente pelo projecto da nossa vida, o dar a conhecer o Coração e a Mente de Cristo aos nossos próximos.



DVA,

sábado, 3 de setembro de 2005

Dias difíceis ...

Ultimamente tenho aprendido que quando não fazemos as coisas de coração, com motivação e desejo, tudo se torna difícil.

A partir do momento que a graça se vai, mesmo que tenhamos empenho e vontade de rebocar ou arrastar tudo, o esforço passa a ser muito maior, portanto mais desgastante, do que numa situação "normal" que se expressa quando "amamos" ou pelo menos gostamos de fazer o que é o nosso dia-a-dia ...

Hoje os dias não se mostram difíceis pelos impostos, ou taxas, ou custos determinados para pagar derivados de uma actividade, mas difíceis pela falta de vontade e pela falta de sentimento de aprender cada dia uma coisa nova ... só assim é que uma actividade tem gosto, e não se torna insípida.

Espero que não se sintam nunca como hoje me sinto ...

...no entanto, com vontade de VENCER!

[[]], takasilva!

segunda-feira, 29 de agosto de 2005

Olá ... há muito tempo ...

... que não aparecia ...!

há precisamente 20 dias que não escrevo nada: uns dias porque não me apetece ( há dias assim!), outros porque tou chateado e não quero (tenho o direito!), outros simplesmente porque não me ocorre nada, mas não fiquem V/ ex.as a pensar que não venho ver se me escreveram algum Post ... alguma crítica ... há quem não goste ... desculpe-me eu gosto! mas até agora também ninguém me ligou mais, népias ... não é possível! ... tou mesmo sozinho ... coitadinho! lol

não sei se tenho andado a aprender alguma coisa ... mas nos fins-de-semana tenho ido à praia ... apanhado Conquilhas, Ameijoas, Berbigões, Carangueijos (não eu! - tenho medo das mordidelas) e depois vou com a famelga mariscar e comemos tudo ... menos eu: que não como os caranguejos!

Quem me conhece ... já nem liga ... quem não me conhece pergunta porquê ...

Hoje estou assim ... outro dia estarei melhor!

Um bem haja,


P.S. O que tenho andado a fazer? o site do CCFV: vejam lá! ainda não está actualizado ... mas em breve haverá novidades!

terça-feira, 9 de agosto de 2005

Preocupações ... e descanso.



Preocupados? mais uma lição ... entreguem tudo ...
...um amigo meu diz "Entrega a uma força superior",
eu digo: à Ùnica força superior!

sábado, 6 de agosto de 2005

Hoje tá difícil ...

o dia até custa a passar ... estou desejando aprender mais qualquer coisinha! é que isto está mesmo parado ... é que está mesmo.

Ontem, é que aprendi, ou se calhar não, relembrei o que já tinha aprendido e que muitas vezes esqueço ... eu explico:

Ontem, na Rede de Jovens, falou-se de integridade, falou-se de grandes homens, que tiveram que renunciar a prazeres ilícitos, para se manterem "no topo", mesmo estando "em baixo" (...é possível?).

Claro que sim, mantendo a integridade mesmo que estejamos em dia mau podemos nos manter "no topo", ou seja, acima dos padrões e conseguir não ser afectado pelas acusações que tão de perto nos rodeiam.

Grande confusão, mas prestem atenção. ainda podem aprender algo, mesmo no meio da confusão.

Sabias ?

... mais cartoons ...

terça-feira, 2 de agosto de 2005

Por onde nos movemos?

Quando os sentimentos nos surpreendem, o que devemos fazer?

Todos temos sentimentos que nos surpreendem, quer pela positiva quer pela negativa, o que devemos fazer com eles? Aprender está claro!

Pela conquista daquilo que lutamos ou pela derrota dos nossos desejos, voltamos a sentir algo mais ... porém agora que sentimos não vamos reagir pelo que sentimos, reagimos pelo que conhecemos.

O conhecimento na hora da decisão é mais importante e deve ter mais peso do que o sentimento.

O sentimento é um sabor, ás vezes doce outras amargo, o conhecimento é sempre a base ... quase, e desculpem-me a comparação, como um medicamento, o conhecimento como princípio activo e o sentimento o gosto quando o tomamos.

Centremo-nos no conhecimento, sem desperdiçar o sentimento!

segunda-feira, 1 de agosto de 2005

Repartir....?

... sabendo nós que os sentimentos nos ajudam a progredir na vivência quotidiana, devemos nós reparti-los com os que nos rodeiam?

O repartir um sentimento é , mais uma vez, uma definição subjectiva, aliás, em questões de sentimentos não existe outra coisa mais do que subjectividade, no entanto o nosso próximos que nos conhece bem, ou começa a conhecer-nos, sabe o que estamos a sentir ... ou não ... (como se diz hoje!).

Precisamos antes de mais saber escolher quem nos rodeia e deixar essa pessoa a ter a vontade de "carregar" connosco o nosso sentimento, somente depois poderemos decidir quem está, ou não, habilitado a suportar o nosso quotidiano.

sexta-feira, 29 de julho de 2005

Sentimentos

... no decorrer de todos os minutos da nossa existência movemo-nos por decisões "de cabeça" e "de coração" que vão sendo influênciadas pela nossa experiência de vida e pelo que adquirimos dos nossos próximos ... é sobre e neste meio que me quero movimentar ... expressar sentimentos ... felizes ou menos, ricos ou não, simplesmente ... sentimentos.